Foto: Divulgação

O universo das joias artesanais se tornou um atestado contra a passagem do tempo: elas carregam um significado muito maior do que apenas um acessório, podendo contar histórias, criar narrativas, carregar sentimentos e memórias e resgatar tradições, tudo isso ao longo de vários anos. Em um mundo de consumo excessivo e imediato, essas características se tornaram cada vez mais raras. 

Joalherias brasileiras que se dedicam a criação artesanal conseguem criar peças únicas: misturas de pedras preciosas e gemas naturais dão vida a coleções com narrativas distintas, cheias de criatividade e que misturam técnicas tradicionais com métodos inovadores. Seja você amante de peças minimalistas e discretas ou apaixonada por vibrantes e alegres joias, reunimos aqui 5 joalherias brasileiras que fazem parte do CJ Fashion para adicionar ao seu radar.

Sauer

Foto: Divulgação

A joalheria Sauer carrega uma impressionante e icônica história, que começa com a chegada do jovem Jules Sauer ao Brasil em 1939 durante a Segunda Guerra Mundial. Aqui, nasceu Lapidação Amsterdam, o nome de seu primeiro negócio. Movido por sua paixão por desbravar o país em busca de joias preciosas, Sauer transformou o seu pequeno negócio de joias em uma grande marca inovadora. Sob a direção criativa de Stephanie Wenk desde 2013, a Sauer conseguiu atualizar e perpetuar os códigos da octogenária joalheria autenticamente brasileira, traduzindo-os para o século XXI em uma linguagem contemporânea, conquistando cada vez mais colecionadores.

Prasi

Foto: Divulgação

Confeccionadas na Itália e no Brasil usando clássicas técnicas artesanais, as joias de design moderno e inovador da Prasi são compostas em ouro 18 quilates. Inspiradas por elementos brasileiros, como as paisagens naturais e a arquitetura do País, as coleções possuem uma estética modernistas, curvas acentuadas e uma personalidade distinta. O olhar refinado das cariocas Helena Sicupira e Mariana Prates resulta em uma interpretação única e um dinamismo despretensioso, que permitem que estas peças de alta joalheria sejam usadas do dia à noite. 

Carolina Constantino

Foto: Divulgação

Para Carolina Constantino, as joias não são apenas um ofício — e sim uma verdadeira paixão. Paixão essa que nasceu de forma despretensiosa, acompanhando um apreço familiar pela arte de criar joias, que se transformou em uma joalheria autoral. Apesar de ter crescido vendo a mãe trabalhar com diversos ourives e cercada pelo universo das joias, foi apenas depois de 10 anos no mundo corporativo que Carolina Constantino se rendeu a criação de peças: “Foi um caminho sem volta. Depois que abri a minha marca homônima, descobri que fazer joias era a minha verdadeira paixão e sem dúvidas o que quero fazer para o resto da vida.” Nas peças em pedras ametista, granada, topázio, citrino, esmeralda e opala, Carolina apresenta acessórios fieis a assinatura da marca: joias atemporais que não se prendem a modismos, para mulheres fortes e naturalmente elegantes.