Foto: Divulgação

Os astros conspiram a favor da SAUER, que mais uma vez aponta para o céu em busca de criações. No ano de seu 80º aniversário, a joalheria brasileira fundada pelo francês Jules Sauer se conecta outra vez com o espaço para lançar “Zodiac”, uma coleção-cápsula em sinastria com estudos milenares da astrologia, surgidos antes mesmo da escrita, na Babilônia. São 12 pendentes de ouro amarelo 18k com cinco estrelas de diamantes e a magia celestial do lápis-lazúli simbolizando cada um dos signos do horóscopo.

– O lápis-lazúli é a pedra filosofal na conexão humana com o cosmos desde o início dos nossos tempos – conta Stephanie Wenk, diretora criativa da SAUER. – Suas manchas douradas são como estrelas no céu noturno, e seu azul profundo representa a verdade universal, a sabedoria e a espiritualidade. Hoje, mais do que nunca, quando o planeta nos convida a vibrar para o alto e com os pés no chão, o lápis-lazúli é um talismã poderoso para entrarmos na nova era pelo portal da frente.

Zodíaco, em grego, significa ‘círculo de animais’. E este grande cinturão mitológico que regula e revela nossos humores e amores está representado nos pendentes criados por Stephanie. Áries, touro, leão, sagitário, capricórnio… todo o mapa astral é delicadamente esculpido com detalhes minuciosos, revelando a personalidade dos 12 signos surgidos no século V a.C a partir das constelações pelas quais o sol fazia o seu trajeto num fenômeno chamado eclíptica. Os cinco diamantes trazem a energia criativa, de união e equilíbrio, desse número de sorte.

– A ciência discute a precisão da astrologia, mas não tem dúvidas de que nós e o cosmos somos feitos de poeiras de estrelas – finaliza Stephanie Wenk. – Como disse Carl Sagan, “somos os representantes do cosmos e uma maneira de ele se autoconhecer”.